quarta-feira, 4 de maio de 2016

O Cerebelo da Poesia

 
 
MAR DO CABEDELO
Certo dia fui operado ao cerebelo
Apenas porque mo disseram sei
Mar do Cabedelo
A uma das suas praias irei
Talvez à do Poço, de areia vermelha, desvelo
Com a Senhora do Mar me aconselharei
Ela ditará este ou outro paralelo,
De posse do seu conselho deliberarei
Além da praia do Poço, o Rio Paraíba é um apelo
Fica tudo no grandioso Estado onde me deterei
Esperando novo livro no prelo
Na Paraíba, o marulhar dos seus mares escutarei
Até o do mar do Cabedelo!
Em dezoito minutos à capital chegarei
Senhora do Mar! Sentirei tudo em paralelo,
Tudo… Tudo o que sonhei!
O gosto de ver o sol nascer singelo.
Singelo em primazia – Observarei
O nascer e o pôr sol, terão características de modelo!
No coração a hospitalidade paraíbana sentirei!
Para ver o mar azul, rodeado de verde, velo
 Ditoso poeta, as doces impressões – Vigiarei!
Mar do Cabedelo
Praias belas, de areias quentes – Visitarei
Mar do Cabedelo! 


Sem comentários:

Enviar um comentário

Chamamos a atenção para que comentários com ordinarices, insultos, má-educação, serão automaticamente aprovados. São especialmente bem-vindas ameaças de cargas de porrada, processos judiciais e tiros nos cornos. Grato!