quarta-feira, 20 de abril de 2016

Carta aberta aos suinicultores portugueses



Ó Manel, isto tá mau! Tou a ver que este ano na troco de jipe, foda-se!

Estimados suinicultores,
Ontem deparei-me de novo com a triste ocorrência de  querer transitar livremente nas estradas de Portugal, como é meu direito constitucional e democrático, e ser impedido por uma vara de Vossas Excelências, aos berros, a agredirem polícias, a bloquearem a via com pedras e camiões, a espalharem aos quatro ventos o fedor boçal da vossa selvajaria.
Como se não bastasse, brandiam cartazes intimando-me  a comer carne de porco! E ainda por cima portuguesa! Não tenho liberdade sequer de escolher!
E se Vossas Excelências fossem trabalhar, em vez de andarem a importunar quem trabalha?
 ROONC!!! ROOONNNC!!! - disse o porta-voz dos suinicultores.

Para começar, EU NÃO COMO CARNE! Acho esse um hábito nojento e bárbaro. E muito menos carne de de porco, que é um animal inteligente, sensível, muito mais humano e muito mais agradável à vista do que Vossas Excelências!
Como se sentiriam  Vossas Excelências se eu bloqueasse uma estrada e desatasse a bombardear-vos com urros, traques e perdigotos, intimando-vos a comerem comida saudável? Ou (pior ainda) a largarem a garrafa de vinho durante uns minutos e a emborcarem um copo de água?


Tão fofinho! Estava capaz de o meter já entre duas fatias de pão!
 
Já bem me basta o espectáculo hediondo dos camiões carregados de pobres animais que sabem que vão para o matadouro, patinhando nos próprios excrementos, sob temperaturas extremas, após uma vida passada em tortura permanente, encarcerados em gaiolas onde mal cabem, a serem regularmente espancados e estuprados por Vossas Excelências!


Nham, nham!... Um bocadinho de mostarda e marchava já!...

Já bem me basta o desastre ambiental, o pivete insuportável, a poluição do ar, da terra, das águas, que a vossa repugnante e nauseabunda actividade causa!
Já bem me basta que a maior parte dos meus impostos vá encher as anafadas peidas de  Vossas Excelências, que cronicamente se queixam de que "a agricultura está mal", mas não mudam de actividade nem deixam de se passear nos vossos Mercedes, de largar milenas nas casas de alterne e de chular quem trabalha!

Que Deus vos ouça...

Não quero alongar-me muito.  Os vossos protestos são uma afronta para as pessoas que trabalham, e que, tantas delas, perdem o emprego (porque o dinheiro é canalizado para sustentar chulos como Vossas Excelências) e que não vão cortar estradas nem atacar a Polícia.
Quando mamais subsídios da União Europeia, ninguém vos incomoda. Então, porque nos incomodais quando as coisas não vos correm tão bem? 
Em vez de cortardes estradas, porque não cortais antes as compridas galhas que ornamentam as vossas curtas testas?
Em vez de incomodardes as pessoas normais, porque não ides antes para o caralhinho que vos foda a todos? 
Cordialmente,
Manuel Almeida 

 
Nada dá mais prazer a um porco do que ser comido. E segurar cartazes.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Chamamos a atenção para que comentários com ordinarices, insultos, má-educação, serão automaticamente aprovados. São especialmente bem-vindas ameaças de cargas de porrada, processos judiciais e tiros nos cornos. Grato!